BIM: Um sistema que deve melhorar a qualidade dos projetos na Construção Civil



BIM: Um sistema que deve melhorar a qualidade dos projetos na Construção Civil

Já pensou em economizar recursos e mão de obra no desenvolvimento de edifícios? Ao utilizar o BIM (sigla em inglês para Modelo da Informação da Construção), é possível gerenciar as obras e garantir mais segurança e eficiência. “Toda a metodologia, quando bem aplicada, proporciona uma maior precisão nos projetos, quantitativos, orçamento e, consequentemente, nas obras”, revela o arquiteto Rogério Lima, mestre pela FAU-Proarq/Ufrj e doutorando da Universidade de Lisboa.


Diferente do CAD (traduzido como Desenho por Auxílio de Computador), esse “novo” método detecta os erros de forma automática, assim como a quantidade de material a ser usado e o tempo necessário para a execução da iniciativa. “Neste sentido, a documentação e quantitativos tornam-se subprodutos do modelo e muitos problemas de projeto ou planejamento podem ser resolvidos antecipadamente”, destaca Lima. 

 
Com essa dinâmica, toda a construção civil acaba sendo impactada pelo meio. Porém, para que o BIM se torne uma realidade no Brasil, Lima conta que os profissionais necessitam passar por uma mudança profunda na forma como realizam suas atividades. “Eles não devem realizar projetos focados na representação bidimensional, mas sim na modelagem do produto (obra), que muitos não estão dispostos ou tem dificuldade em realizar.” 


Embora isso ocorra, nos últimos três anos, cidades como São Paulo, Curitiba, Florianópolis e Fortaleza já apresentam um número significativo de empresas de projeto e construção que utilizam BIM em vários níveis. “Fica evidente que, para tirarmos proveito maior, faz-se necessário um alinhamento constante entre os agentes dos diversos setores. A contribuição mútua entre projetista e executores reduz erros de projetos e principalmente na obra”, conclui o arquiteto.


A origem da plataforma 


Para muitos profissionais da Construção Civil, a modelagem da informação do BIM é uma novidade, mas, atualmente, observamos que a tecnologia é a grande pauta da indústria nacional e internacional. No infográfico abaixo, a timeline situa as maiores empresas do mundo em produção de softwares da plataforma, apresentando as datas do início de suas pesquisas em softwares paramétricos e os lançamentos de produtos no mercado. “É possível observamos que a Autodesk foi inserida em 1982, com o AutoCad, que não é software de autoria BIM, mas faz parte da história da empresa, que só inicia investimentos em software de autoria BIM no ano de 2002, a partir da compra do software de autoria BIM Revit, criado por Charles River Software em 1997”, afirma o Prof. Adriano Sales, arquiteto e urbanista mestrando em Arquitetura - Tecnologia e Cidade. 




Especialização


A partir desse incentivo do governo federal, a expectativa é que o mercado abra mais espaço para profissionais especializados em BIM. De acordo com Lima, também coordenador do MBA em Plataforma BIM do INBEC, o caminho correto é apostar na especialização. “Desde 2013, o INBEC vem formando profissionais nesta área em diversas capitais, sendo pioneiro no assunto.” O curso é focado na gestão de projetos de edificações e execução de obras, e pode ser encontrado no site da instituição.


Adriano Sales

Arquiteto e urbanista mestrando em Arquitetura - Tecnologia e Cidade

INBEC - Pós-Graduação com Futuro

Educar, formar e preparar Profissionais dentro das normativas aplicáveis ao ensino superior.